27/08/2011

Restaurante Nomangue - Jacarepaguá - Rio de Janeiro

          A região da Barra de Guaratiba é bem famosa no Rio por abrigar diversos restaurantes de frutos do mar, cujas donas são carinhosamente chamadas de "tias". No ano de 2002, o filho mais velho da Tia Penha, Vaval, resolveu abrir seu próprio restaurante, aproveitando todo o "know-how" que já possuía. Batizou-o de "Nomangue", numa clara alusão ao lugar onde passou anos da sua vida catando caranguejos, ostras e pescando.
          O local escolhido, no entanto, não foi Guaratiba, mas sim uma região próxima ao Autódromo, em Jacarepagua, naquela época ainda bem erma. O ambiente é bem simples. E agora, por ordem da prefeitura, ainda sem o barco de madeira que se encontrava "ancorado" na porta do restaurante e facilitava sua identificação.As atuais obras na Estrada Cel Pedro Correia deixam o entorno do restaurante ainda mais caidinho.Portanto, se preferir um ambiente mais acolhedor, opte pela filial de Botafogo.


       No ano de 2010, a Veja Rio concedeu-lhe o prêmio de melhor restaurante na categoria "Bom e Barato". 
       De entrada, fomos no mix de pastéis de camarão e siri (R$3,80 a unidade). Esqueça o pastel de siri: sem gosto, sem graça. 
      Todos os pratos são para duas pessoas e vão de R$ 70 até R$ 90,00. Como prato principal, optamos pela moqueca de cherne com molho de camarão (R$ 83,00) A moqueca vem acompanhada de arroz, pirão (muito bom) e uma porção de farofa de dendê. O sabor é realmente incrível. O azeite de dendê e o leite de coco aparecem na medida certa, conferindo um gosto suave à moqueca.


     Outros pratos que também fazem a fama do restaurante são o Camarão no Abacaxi (R$ 87,00), o Camarão no Coco (R$ 91,00), o Camarão na Moranga (R$ 95,00) e a Feijoada de Frutos do Mar ( R$ 88,00)
      Conforme já mencionado, o restaurante abriu filial em Botafogo, para atender os moradores da Zona Sul, que já não precisam mais atravessar toda a Barra da Tijuca para comer seu peixinho...



Restaurante Nomangue
Estrada Coronel Pedro Correia, 122 - Jacarepaguá
tel: 3416-8821


Rua Visconde de Caravelas,180 -  Botafogo
Tel: 2225-4028

24/08/2011

Buenos Aires - Restaurantes (parte 5)

  Numa cidade como Buenos Aires, onde os estabelecimentos gastronômicos de considerável qualidade não são poucos,  ao se elaborar uma lista, o risco de vários deles ficarem de fora é grande.Com exceção dos restaurantes do Hotel Faena, desconsiderei os demais restaurantes de hotéis. Não que não sejam de ótima qualidade. Mas os acho menos interessantes.Com algumas outras exceções, também não listei alguns restaurantes considerados muito caros para os padrões portenhos, porque afinal de contas ir à Buenos Aires e pagar muito caro pela comida não tem a menor graça...


BARES

1)  Milion Bar e Restaurant - Paraná, 1048, Recoleta
        Para começar a falar do Milion, melhor já ir falando que é considerado um dos melhores bares da América do Sul.
        Instalado num casarão estilo neoclássico francês, datado de 1903, o Milion conta com três andares e um jardim. No primeiro andar estão o salão principal com o bar, que podem ser acessados tanto pela escada principal quanto por uma secundária, que parte do jardim, nos fundos, onde também se pode desfrutar da comida do restaurante. No terceiro andar, cinco salas pequenas formam livings em que grupos ficam reunidos, comendo e bebendo.
     Confesso que fiquei um pouco decepcionado com o ambiente. Não que seja ruim. Mas esperava um pouco mais por tudo que ouvi falar.

        
         Quanto aos drinks, a surpresa foi ao inverso. Não esperava que fossem tão bons.Experimentei um dos mais pedidos da casa: o Acid Lounge. Feito com Absolut Mandrin, energético e Jagmaster, o drink é perfeito.
 Mas o Milion não é só bar. Tem restaurante também. E a comida não é "comidinha". É de restaurante de primeira.


2) Gran Bar Danzon - Libertad, 1161, Retiro

3) 878 Bar  - Thames 878, Villa Crespo



RESTAURANTES


Em Palermo


1)  La Cabrera - Jose Antonio Cabrera 5099 - Palermo
    Considerado, juntamente com " La Cabrera Norte", um dos melhores locais para se comer carne a la parrilla em Buenos Aires. Mas fique atento porque em fins de semana e feriados, as filas na porta são enormes, principalmente nos jantares.

2) La Cabrera Norte - Jose Antonio Cabrera 5127 - Palermo

     
      "Irmão" do La Cabrera, situado na quadra ao lado, o restaurante mantém em seu cardápio, além dos cortes tradicionais, também o famoso Kobe Beef, a famosa carne de gado japonês, criado com muita cerveja e massagem relaxante. O preço do Kobe, no entanto, é um pouco salgado.     

       Nos Cabreras, você escolhe o corte da carne e ela vem junto com mini porções de acompanhamentos. Alguns ótimos, outros apenas regulares. O destaque fica para o ojo de bife.


Bife de chorizo
                                                                                                                                       

 3)  Miranda - Costa Rica 5602 -Palermo 
    Cozinha de parrilla -Mais barato que os Cabreras, apresenta boa relação custo- beneficio.Publico jovem, ambiente agradável. Comida apenas razoável.






4) Tegui -  Costa Rica, 5852 -Palermo
   Cozinha autoral, assinada pelo mesmo chef do Casa Cruz, em ambiente estiloso, comida boa, mas com  preços acima da média.

5) Casa Cruz - Uriarte, 1658 - Palermo
   Cozinha portenha - um dos restaurantes mais tradicionais da cidade, em ambiente refinado, boa comida, mas serviço considerado fraco. Preço acima da média.

6) Green Bamboo - Costa Rica, 5802 - Palermo
   Cozinha vietnamita - ambiente muito agradável e comida boa para quem, obviamente, curte um sabor diferente como o curry e o gengibre.

7) Olsen - Gorriti, 5870 - Palermo
   Cozinha escandinava - ambiente moderninho, comida boa e preços razoáveis. A dica de entrada é a famosa tábua de canapés acompanhados, cada um deles, de um "shot" de Absolut com sabor.Como prato principal experimente o atum levemente grelhado com espuma de batata ou a carne de porco. Servem um famoso brunch aos domingos.




8) Mott - El Salvador, 4685 -Palermo
   Cozinha autoral, ambiente cool muito agradavel, e bons preços.

9) Osaka  - Soler, 5698 - Palermo
    Um dos melhores peruanos dentre diversos da cidade.

10) Sipan Cevicheria - Uriarte, 1648 - Palermo
      Outro peruano de destaque, localizado no Hotel Palermitano

11) Mark's Deli & Coffee House - El Salvador, 4701 - Palermo
  Preferindo uma saladinha, sopa, sanduíches ou sucos, vá ao aconchegante e informal Mark's. Funciona também como cafeteria.


12) Astrid & Gaston Lafinur 3222, Palermo, C.A.B.A.- o famoso e legitimo peruano

Puerto Madero

13) Cabana Las Lilas - Alicia Moreau de Justa, 516
  Cozinha de parrilla - Ja virou um ponto turístico na cidade. Do mesmo grupo do paulistano Figueira Rubayat, ambiente agradável com varanda, ótima carta de vinhos, boa comida mas com preços acima da média.

14) Sorrento Madero - Alicia Moreau de Justa, 410
15) Sottovoce Madero -  Alicia Moreau de Justa, 176
    Dois Italianos de destaque, em um ambiente para lá de agradavel: à beira do Rio da Prata. Na preferência popular (Guia Oleo), uma grande vantagem para o Sorrento, que também oferece frutos do mar.

16) Cabaña Villegas - Alicia Moreau de Justa, 1050
     Cozinha de parrilla - no estilo "Las Lilas" com preços mais acessíveis. Para muitos, com comida também melhor do que o concorrente.

17) El Mercado no hotel Faena - Marta Salotti, 445
  Vale mais pelo ambiente do famoso Hotel Faena do que propriamente pela comida, que é somente razoável. Preços acima da média.

18) El Bistro no hotel Faena - Marta Salotti, 445
   Também situado no Hotel, restaurante francês com preços bem salgados (maiores que o El Mercado) e comida autoral. Decoração bem inusitada: todo branco com cabeças de unicórnio na parede e cristais Baccarat, no melhor estilo Starcks.


Centro

19) Broccolino - Esmeralda 776
      Italiano simples, com cara de cantina. Mas com comida honesta a preços justos.Orima opção para almoço apos a via crucis no Centro(Florida e arredores)

20) El Federal -  San Martin, 1015
      Ambiente agradável.Experimente o cordeiro patagônico ao vinho Malbec.




Recoleta

21) El Mirasol de la Recova - Posadas, 1032
Cozinha de parrilla

22) El Sanjuanino - Posadas, 1515
Restaurante tradicional portenho. Ambiente bem descontraído e típico. Otimos preços. Muito procurado pelas famosas empanadas.

San Telmo

23) Aramburu - Salta, 1050
      Um dos melhores restaurantes de cozinha autoral na cidade.

24) La Brigada - Estados Unidos, 465
      Cozinha de parrilla - outro destaque do gênero na cidade em ambiente típico portenho.




* Tendo em vista a alta inflação de preços na Argentina, os preços divulgados rapidamente se tornam defasados.




10/08/2011

Buenos Aires - Argentina (parte 4)

6) Onde comer

A) Algumas considerações

         Pensou em Buenos Aires, pense em comer bem e barato. É uma relação custo-benefício que dificilmente você encontrará em outro lugar. Mas não entre nas furadas de restaurantes que figuram em pacotes turísticos ou daqueles indicados pelos taxistas, como o famoso "Siga la Vaca". Não a siga!
         Buenos Aires já é considerada uma das cidades em que melhor se come e bebe no mundo. A variedade é enorme. Destaque para as culinárias peruana, italiana, oriental, espanhola e francesa.
        Para começar os trabalhos, encare sem medo algumas empanadas argentinas -fritas ou assadas- cuja fama já atravessou fronteiras. E, se você não for vegetariano, ir a Buenos Aires significa necessariamente experimentar a saborosa carne argentina feita em parrilla - utensilio para assar a carne na brasaO termo também se refere ao tipo de cozinha ou restaurante em que serve esse tipo carne. Os cortes mais apreciados pela turistada são o "bife de chorizo" (contra-filé e que nada tem a ver com o nosso "chouriço"), o delicioso"bife ancho" ( entrecote; bem macia mas com gordura entrefilada)  e o "ojo de bife ou rib eye (miolo do contra-filé). Os tamanhos,em geral, são bem maiores do que no Brasil. Para acompanhar, peça papas fritas a provençal, papas soufflé ou ensaladas (saladas). Se ainda sobrar espaço, o doce de leite portenho - puro ou como parte de uma sobremesa - é de se comer ajoelhado.
             Para molhar o bico, não deixe de degustar um dos vinhos argentinos, que também chegam à mesa a um ótimo preço. A Argentina é hoje a quinta maior produtora de vinhos e o destaque fica para a cepa Malbec, ostentando o país o posto de maior produtor de vinho Malbec do mundo. Quanto às vinícolas, vale ressaltar a importância da Catena Zapata, uma das mais tradicionais e festejadas da Argentina, apresentando sempre vinhos de excelente qualidade, com alta pontuação entre os especialistas. Outras bodegas     de destaque são a Luigi Bosca, Trapiche, Kaiken, Terrazas de los Andes, Zuccardi e a novissima Enrique Foster.
             A grande dica é um site que você deve ter em mente sempre que o assunto for "restaurantes e afins" em Buenos Aires: http://www.guiaoleo.com.ar. O site simplesmente indica os restaurantes por cozinha, por bairro, os que abrem para o almoço, para o jantar, a faixa de preços, os que tem reserva on line etc. Além disso, com prévio cadastro do cliente no site, você poderá imprimir cupons de descontos para alguns restaurantes (só clicar na aba "Con descuentos Guia Oleo). O site da Time Out Buenos Aires também pode te dar uma ajudinha: http://www.timeout.com/buenos-aires/
              Outra dica importante é a de fazer reserva, principalmente para o jantar (por e-mail ou pelo hotel mesmo). Mas alguns restaurantes concorridos não aceitam reservas após as 21h. Resta, então, o nome na lista de espera do restaurante no momento da chegada.
             Alguns restaurantes cobram uma taxa, por pessoa, sob a rubrica de cubierto, que em português seria "talher". Alguns dizem que é realmente pela utilização dos talheres. Outros dizem que já virou tradição na cidade mas não se tem um fundamento exato para tal cobrança e que, na verdade, seria para cobrir outras despesas do restaurante, como, por exemplo, uma eventual reposição de louças e cristais. Apesar de não representar um valor tão alto, tudo que é cobrado sem explicação clara, torna-se uma cobrança antipática. Mas o fato é que ele aparece em muitas contas. E nada tem a ver com couvert. Já jantei em restaurantes em que não houve couvert e, ainda assim, houve a cobrança do tal cubierto. E também não se deve confundir com a gorjeta, que por lá se chama propina, e geralmente não vem incluída na conta, ficando a seu critério dá-la ou não. Em relação a essa vale ressaltar que se a conta for paga toda com cartão de crédito, a propina, na maioria das vezes, só é aceita à parte, em dinheiro.
                
              
           

03/08/2011

Buenos Aires - Argentina (parte 3)

5) Meios de transporte 


    Considere sempre como primeira opção andar a pé pela cidade, principalmente se a temperatura estiver boa. Palermo, Recoleta e San Telmo são ótimos para bater uma perna. Mas também não caia na furada de percorrer bairros inteiros ou até mesmo distâncias enormes entre os bairros a pé. Falo isso porque na primeira ida a cidade você sempre comete esse erro. No final do dia você não consegue fazer mais nada. 

A) Táxi
            Como já dito em Buenos Aires - Argentina (parte 1)as corridas de táxi em Buenos Aires são muito baratas. Você vai experimentar a estranha sensação de entrar num táxi e esquecer que nele existe um taxímetro. A corrida mais cara será a do Aeroporto-Hotel,  mas já se sabendo de antemão o seu valor (como também mencionado no primeiro post). Apesar de nunca ter vivido qualquer infortúnio com taxistas na cidade, há inumeros relatos que sugerem uma certa cautela, principalmente nos locais onde se toma o táxi, destinos pretendidos, bem quanto ao troco. Evite dar notas de 100 pesos, porque há casos de trocas por notas falsas.
            Lembre-se que para tomar um táxi em BsAs você precisa ficar no lado direito da rua, caso contrário os taxistas nao irão parar.          
        
B) Metrô ou Subte

      O valor do táxi associado a um deslocamento mais fácil, acaba desestimulando a utilização do metrô em Buenos Aires. No entanto, para conhecer um pouco mais do estilo portenho de ser, siga para o Subte. O valor unitário do ticket é cerca de 1,10 pesos*, ou seja, nem R$ 0,50* (jun /11). São 6 linhas que cortam a cidade, com algumas estações na interseção delas.


                            Mapa ampliado



     A linha verde(D) é a mais indicada para a maioria dos pontos turísticos.Estando ou indo para Palermo, a melhor estação é a da Plaza Italia (Av. Santa Fé com Av. Sarmiento ou Thames) ou Estação Scalabrini Ortiz (Avenida Santa Fé com Scalabrini Ortiz). Siga em direção a Estação Catedral se o seu destino for a Plaza de Mayo ou a famosa Rua Florida.  A linha também facilita o deslocamento entre alguns pontos turísticos dentro do próprio Centro, como da Plaza de Mayo até o Teatro Colón. (Est.Catedral - Est.Tribunales).
         Partindo ou seguindo para a Recoleta, a estação mais indicada é a Pueyrredon da Linha verde D. Cuidado porque há uma estação com mesmo nome na linha vermelha B!
           Mas fique sabendo que tanto as estações de Palermo quanto a da Recoleta não são muito próximas às principais atrações de cada bairro, respectivamente. Algo em torno de 15 min de caminhada.Já as do Centro, principalmente a Estação Catedral, fica bem próxima aos pontos turisticos.
           O sistema de aluguel de bikes ainda nao funciona para turistas..!!!


* Tendo em vista a alta inflação de preços na Argentina, os preços divulgados rapidamente se tornam defasados.